Sexta-feira, 28 de Novembro de 2014

Eu li... Catarina Nunes de Almeida

 

O VERÃO NÃO TINHA LIMITES

 

o Verão não tinha limites.

a mulher lidava com a casa pele com pele

andava todos os dias muito de noite

dias e dias de noite de roda dos fetos

toda dentro do Verão sem nenhum

tornozelo de fora.

era o Verão em hora de ponta

a mulher arrastava-se dentro da mulher.

os dias só faziam sentido existindo noites

as noites só faziam sentido trincando nêsperas

e bordando palavras que dessem sombra no ventre.

 

uma noite a mulher bordou a palavra mulher

e deitou-se de bruços.

era quase luz quando a primeira letra se ergueu.

e sem que houvesse tempo de escolher canção e vinho à altura

dessa primeira letra saiu o corpo

íngreme

arado

torrencial

do que havia de ser o anjo.

 

In “Marsupial” Lisboa:

Mariposa Azual - 2014

 

Catarina Nunes de Almeida

N.1982

 

publicado por cateespero às 00:00
link do post | Deixe seu comentário | favorito
Domingo, 23 de Novembro de 2014

Eu li... Margarida Vale de Gato

COM PAIXÃO E HIPOCONDRIA

 

Confortamo-nos com histórias laterais,

evitamos o toque, há risco de contágio;

por mais que preservemos a franqueza

passou o estágio já da frontal alegria:

estamos bem, obrigada, embora aquém

de antes – entretanto admitimos não

saber, e enquanto resta isto indefinido,

mesmo com luvas, pinças de parafina,

não sondamos mais, sob pena de crescer

um quisto nesse incisivo sítio onde

achámos sem tacto que menos doía

 

In “Mulher ao Mar”

Mariposa Azual -2010

 

Margarida Vale de Gato

N. 1973

publicado por cateespero às 00:00
link do post | Deixe seu comentário | favorito
Terça-feira, 18 de Novembro de 2014

Eu li... Bernardo de Passos

DESENCANTO

 

Teus olhos, cuja luz

Já me envolveu d'amor o coração

E doirou minha cruz

Do seu divino e mágico clarão...

 

Teus olhos, cuja graça

Já em risos passou por sobre mim,

Como pelo ermo passa

A Luz a desfolhar-se, - alvo jasmim...

 

Teus olhos, cujo pranto

Por mim já derramaste, quando ausente,

Cheia de dor e encanto,

Choravas de saudade, aflitamente...

 

Teus olhos, esses sóis

Que eu adorava como o persa adora

O sol entre arrebois...

- O meu Norte, o meu Dia, a minha Aurora!

 

Teus olhos... porque os vi

Fitando uns outros que não são os meus,

De todo os esqueci...

E assim manchaste tu esses dois céus!...

 

In “Obra Poética de Bernardo de Passos”

Edição da C. M.de S. Brás de Alportel - Novembro de 1982  

 

Bernardo de Passos

1876 – 1930

publicado por cateespero às 00:00
link do post | Deixe seu comentário | favorito
Quinta-feira, 13 de Novembro de 2014

Eu li... Gastão Cruz

CANÇÃO SEXTA

 

Tanto o pó de outro dia destruíra

o último sossego novamente

este cheiro de vida embora andasse

a tarde sobre tudo sem sossego

engano

escasso vento

o pó levando ainda de outro dia

 

Do abrigo do dia novamente

lançados sobre a áspera cratera

dos enganos lavrada do sossego

no uso dos enganos tão ciente

ar doce do amor que leva o pó

do abrigo do dia sobre tudo .

frágil disperso fora com o vento

lançados do engano do sossego

 

Somente já de vida mantivera

não da gruta da tarde as vãs lembranças

o pó do dia

as nuvens os enganos

desabridos da tarde enfim de vida

as crateras apenas despejadas

assim o pó ardia novamente

surdo cansado espesso pó da terra

 

Não trazia lembranças

sem sossego abrigava de outro dia

da tarde sossegada a escassa vida

De destroços canção somente a vida

não reduz do sossego destruído

de outro dia a lembrança ao pó que a traz

 

In “Poesia 1961-1981”

O Oiro do Dia

 

Gastão Cruz

N.1941

publicado por cateespero às 00:00
link do post | Deixe seu comentário | favorito
Sábado, 8 de Novembro de 2014

Eu li... Gentil de Valadares

CLICHÉ

 

Descalça vai pela estrada

A formosa lavradeira,

Leva ao ombro uma aguilhada

E conduz os bois à feira.

 

O seu rosto oval, perfeito,

Lembra o de Nossa Senhora:

Falta-lho Menino ao peito...

S.José, quem o não fora?!

 

– Teus cabelos são de trevas!...

A enfeitar o penteado.

Muito escarlate... que levas?

– Uma papoila do prado.

 

Quadra-lho corpete bem

Sem renda nem entremeio,

Por feitio apenas tem

Dois balõezinhos no seio...

 

A saia se amolda às ancas

Com volúpia e tais maneiras

Que, se mostra as fraldas brancas,

Parecem duas peneiras...

 

Descalça vai pela estrada

Mai-los bois essa donzela

E conduz, com a aguilhada.

Os meus olhos atrás dela!

 

In “Luar e Sol” – 1961

Pap. Liz  

 

Gentil de Valadares

1916 – 2006

publicado por cateespero às 00:00
link do post | Deixe seu comentário | favorito
Segunda-feira, 3 de Novembro de 2014

Eu li... Gonçalves Crespo

MATER DOLOROSA

 

Quando se fez ao largo a nave escura,

na praia essa mulher ficou chorando,

no doloroso aspecto figurando

a lacrimosa estátua da amargura.

 

Dos céus a curva era tranquila e pura;

das gementes alcíones o bando

via-se ao longe, em círculos, voando

dos mares sobre a cérula planura.

 

Nas ondas se atufara o Sol radioso,

e a Lua sucedera, astro mavioso,

de alvor banhando os alcantis das fragas!...

 

E aquela pobre mãe, não dando conta

que o sol morrera, e que o luar desponta,

a vista embebe na amplidão das vagas...
 
In “Nocturnos”

 

Gonçalves Crespo

1846 – 1883

publicado por cateespero às 00:00
link do post | favorito

.Eu

.pesquisar

 

.Maio 2017

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

.Ano IX

.Estão neste momento...

.posts recentes

. Eu li...

. Eu li... Olavo Bilac

. Eu li... António Botto

. Eu li... Charles Baudelai...

. Eu li... Su Dongbo

. Eu li... Jacinta Passos

. Eu li... Laura Riding

. Eu li... Carlos Drummont ...

. Eu li... Juan Ramón Jimén...

. Eu li... Vincenzo Cardare...

.arquivos

. Maio 2017

. Abril 2017

. Março 2017

. Fevereiro 2017

. Janeiro 2017

. Dezembro 2016

. Novembro 2016

. Outubro 2016

. Setembro 2016

. Agosto 2016

. Julho 2016

. Junho 2016

. Maio 2016

. Abril 2016

. Março 2016

. Fevereiro 2015

. Janeiro 2015

. Dezembro 2014

. Novembro 2014

. Outubro 2014

. Setembro 2014

. Agosto 2014

. Julho 2014

. Junho 2014

. Maio 2014

. Abril 2014

. Março 2014

. Fevereiro 2014

. Janeiro 2014

. Dezembro 2013

. Novembro 2013

. Outubro 2013

. Setembro 2013

. Agosto 2013

. Julho 2013

. Junho 2013

. Maio 2013

. Abril 2013

. Março 2013

. Fevereiro 2013

. Janeiro 2013

. Dezembro 2012

. Novembro 2012

. Outubro 2012

. Setembro 2012

. Agosto 2012

. Julho 2012

. Junho 2012

. Maio 2012

. Abril 2012

. Março 2012

. Fevereiro 2012

. Janeiro 2012

. Dezembro 2011

. Novembro 2011

. Outubro 2011

. Setembro 2011

. Agosto 2011

. Julho 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

.tags

. todas as tags

blogs SAPO

.subscrever feeds