Quarta-feira, 28 de Agosto de 2013

Eu li... Teresa Rita Lopes

JUNTO A UM MURO VELHO

 

Junto a um muro velho

A uma casa ruída

A velha amendoeira diz que não

À morte

E fica

De repente

Menina e noiva

Ao mesmo tempo.

 

O vento ri-se dela

Arranca-lhe as pétalas

- Mas são tantas que não se nota -

Escarnece-a:

- "És uma velha louca de véu e grinalda!"-

Para enxotar os insultos machistas do velho

Vento

Acudo-lhe com estes versos:

- "Não ligues! É inveja!

Estás tão linda assim de noiva, avozinha!"  

 

In “Caminhos de Alcoutim”

 

Teresa Rita Lopes

N. 1937

publicado por cateespero às 00:00
link do post | Deixe seu comentário | favorito
Sexta-feira, 23 de Agosto de 2013

Eu li... Gregório de Matos

CASOU FILIPA RAPADA

 

Casou Filipa rapada

com o Guapo do lugar,

e porque quis bem casar,

ficou arto mal casada:

hoje é a mal maridada

do sítio de São Francisco,

porque o Guapo vendo o risco,

que seu crédito corria,

em vez de dar-lhe a maquia

se contentou cum belisco.

 

Que não consumou, se fala,

porque o Noivo em tanta glória

se pôs fraco de memória,

e esqueceu-lhe a cavalgá-la:

a Noiva fez disto gala,

porque ficou co'a honrinha,

e ele diz, que assim convinha:

porque se um homem de bem

não tira a honra a ninguém,

menos a quem a não tinha.

 

Ele está mui arriscado

a um sucesso infeliz,

porque o que dele se diz,

é, que o tinha bem provado:

a mim me não dá cuidado

ver, que o Noivo consentiu,

porque se a Noiva dormiu,

e diz, que o há de provar,

se cumpriu, hei de eu mostrar,

que já provou, e cumpriu.

 

Fez o Noivo às carreirinhas

uma airosa retirada,

vendo estar fortificada

a praça com tantas linhas:

mas eu já por contas minhas

tenho a maranha entendida,

e é, que o Noivo em sua vida

não quis, que o Povo malvado
dissesse, que andava assado
por uma mulher cozida.

 

Se coseu o berbigão,

como diz a gente toda,

muito a Moça me acomoda

para arrais de um galeão:

porque se a sua intenção

foi acaso em tanta bulha

meter (fora vá de pulha)

uma fragata alterosa

por barra tão perigosa

é, que se fiou na agulha.

 

O Noivo se veio embora,

e ela chora, ao que eu creio,

porque o Noivo se não veio,

não entendo esta Senhora:

mas o que se teme agora,

é, que um dos Cunhados mande,

que o pleito vá a Roma, e ande;

eu não sei, que demo o toma,

pois quer, que passe por Roma

mulher de nariz tão grande.

 

Obras Completas de Gregório de Matos

 

In “Breve Antologia Poética do Período Barroco”

Livª. Civilização Editora – Porto e Contexto Editora – Lisboa

 

Gregório de Matos

(Poeta Brasileiro)

1623 – 1696

publicado por cateespero às 00:00
link do post | Deixe seu comentário | favorito
Domingo, 18 de Agosto de 2013

Eu li... Vânia Staggemeier

AS FLORES DA PRIMAVERA!

 

Neste entardecer tão belo...

Entre todas as flores...

Existe uma rosa amarela...

Que vem ressurgindo...

Com a primavera...

 

Trazendo consigo...

Seu delicado perfume...

Assim como esperanças...

E oportunidades...

Para novas amizades...

 

A primavera é tão bela...

Porque traz com ela...

Todas as flores e aromas...

Revitalizando a inquietude...

De todos os corações...

 

As rosas colorem o amor...

As vermelhas exalam paixão...

As amarelas trazem magia e a sedução...

As brancas com sua brandura...

Trazem paz para os corações...

 

Vânia Staggemeier

(escritora e poeta brasileira)

N. ??

publicado por cateespero às 00:00
link do post | Deixe seu comentário | favorito
Terça-feira, 13 de Agosto de 2013

Eu li... Fernando Pessoa

EU AMO TUDO O QUE FOI

 

Eu amo tudo o que foi,
Tudo o que já não é,
A dor que já me não dói,
A antiga e errónea fé,
O ontem que dor deixou,
O que deixou alegria
Só porque foi, e voou
E hoje é já outro dia.

 

In “Poesias Inéditas”

 

Fernando Pessoa
1888 – 1935

publicado por cateespero às 00:00
link do post | Deixe seu comentário | favorito
Quinta-feira, 8 de Agosto de 2013

Eu li... Regina Gouveia

BIG-BANG

 

Na minha infância, o Universo estendia-se

do Castelo até às Eiras, envolvendo a Praça

e o Cabecinho onde ficava a minha escola.

À volta eram ladeiras que velavam o sono do rio

lá no fundo. Era assim o meu mundo

que, para mim, era maior que o infinito

e que em cinco linhas aqui ficou descrito,

contrariando assim, à evidência,

uma das conjecturas da ciência.

Desde o seu Big-Bang

o meu Universo contrai-se, não se expande.

 

In “Magnetismo Terrestre”

Fundação Dr. Luís Araújo – Porto – 2006

 

Regina Gouveia

N. 1945

publicado por cateespero às 00:00
link do post | Deixe seu comentário | favorito
Sábado, 3 de Agosto de 2013

Eu li... Hélder Mutéia

ENSAIO DE LÁGRIMAS

 

Se as nossas lágrimas

apagassem o ódio que nos cerca

e apagassem também o fogo que nos mata

mãe

eu pediria as lágrimas de todos

sangrando as pupilas.

 

Mas temo, mãe

que nos afoguemos um dia

dentro das nossas lágrimas

 

Hélder Mutéia

(Poeta Moçambicano)

N. 1960

publicado por cateespero às 00:00
link do post | Deixe seu comentário | favorito

.Eu

.pesquisar

 

.Maio 2017

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

.Ano IX

.Estão neste momento...

.posts recentes

. Eu li...

. Eu li... Olavo Bilac

. Eu li... António Botto

. Eu li... Charles Baudelai...

. Eu li... Su Dongbo

. Eu li... Jacinta Passos

. Eu li... Laura Riding

. Eu li... Carlos Drummont ...

. Eu li... Juan Ramón Jimén...

. Eu li... Vincenzo Cardare...

.arquivos

. Maio 2017

. Abril 2017

. Março 2017

. Fevereiro 2017

. Janeiro 2017

. Dezembro 2016

. Novembro 2016

. Outubro 2016

. Setembro 2016

. Agosto 2016

. Julho 2016

. Junho 2016

. Maio 2016

. Abril 2016

. Março 2016

. Fevereiro 2015

. Janeiro 2015

. Dezembro 2014

. Novembro 2014

. Outubro 2014

. Setembro 2014

. Agosto 2014

. Julho 2014

. Junho 2014

. Maio 2014

. Abril 2014

. Março 2014

. Fevereiro 2014

. Janeiro 2014

. Dezembro 2013

. Novembro 2013

. Outubro 2013

. Setembro 2013

. Agosto 2013

. Julho 2013

. Junho 2013

. Maio 2013

. Abril 2013

. Março 2013

. Fevereiro 2013

. Janeiro 2013

. Dezembro 2012

. Novembro 2012

. Outubro 2012

. Setembro 2012

. Agosto 2012

. Julho 2012

. Junho 2012

. Maio 2012

. Abril 2012

. Março 2012

. Fevereiro 2012

. Janeiro 2012

. Dezembro 2011

. Novembro 2011

. Outubro 2011

. Setembro 2011

. Agosto 2011

. Julho 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

.tags

. todas as tags

blogs SAPO

.subscrever feeds