Segunda-feira, 27 de Fevereiro de 2012

Eu li... Natália Correia

O LIVRO DOS AMANTES

 

I
Glorifiquei-te no eterno.
Eterno dentro de mim
fora de mim perecível.
Para que desses um sentido
a uma sede indefinível.

Para que desses um nome
à exactidão do instante
do fruto que cai na terra
sempre perpendicular
à humidade onde fica.

E o que acontece durante
na rapidez da descida
é a explicação da vida.

II
Harmonioso vulto que em mim se dilui.
Tu és o poema
e és a origem donde ele flui.
Intuito de ter. Intuito de amor
não compreendido.
Fica assim amor. Fica assim intuito.
Prometido.

VI
Aumentámos a vida com palavras
água a correr num fundo tão vazio.
As vidas são histórias aumentadas.
Há que ser rio.

Passámos tanta vez naquela estrada
talvez a curva onde se ilude o mundo.
O amor é ser-se dono e não dar nada.
Mas pede tudo.

IX
Pusemos tanto azul nessa distância
ancorada em incerta claridade
e ficamos nas paredes do vento
a escorrer para tudo o que ele invade.

Pusemos tantas flores nas horas breves
que secam folhas nas árvores dos dedos.
E ficámos cingidos nas estátuas
a morder-nos na carne dum segredo.


In “Poemas” – 1955


Natália Correia

1923 – 1993

publicado por cateespero às 00:00
link do post | Deixe seu comentário | favorito
Terça-feira, 21 de Fevereiro de 2012

Eu li... José Régio

SONETO DE AMOR

 

Não me peças palavras, nem baladas,
nem expressões, nem alma... Abre-me o seio,
deixa cair as pálpebras pesadas,
e entre os seios me apertes sem receio.

Na tua boca sob a minha, ao meio,
nossas línguas se busquem, desvairadas...
E que os meus flancos nus vibrem no enleio
das tuas pernas ágeis e delgadas.

E em duas bocas uma língua..., – unidos,
nós trocaremos beijos e gemidos,
sentindo o nosso sangue misturar-se…

Depois... – Abre os teus olhos, minha amada!
Enterra-os bem nos meus; não digas nada...
Deixa a Vida exprimir-se sem disfarce!

 

(Biografia)

 

In “Antologia de Poesia Portuguesa Erótica e Satírica”

Selecção, prefácio e notas de Natália Correia

5ª edição - Antígona/frenesi

 

José Régio

1901 – 1969

publicado por cateespero às 00:00
link do post | Deixe seu comentário | favorito
Quarta-feira, 15 de Fevereiro de 2012

Eu li... Giuseppe Ghiaroni

PONTOS DE VISTA

 

Na minha infância, quando eu me excedia,
quando eu fazia alguma coisa errada, 
se alguém ralhava, minha mãe dizia:

– Ele é criança, não entende nada!

 

Por dentro, eu ria satisfeito e mudo.
Eu era um homem, entendia tudo.

 

Hoje que escrevo histórias e poemas
e pareço ter tido algum estudo,
dizem quando me vêem com meus problemas:
– Ele é um homem, ele entende tudo!

 

Por dentro, alma confusa e atarantada,
eu sou uma criança, não entendo nada!...

 

 

Giuseppe Ghiaroni

(Poeta e Jornalista Brasileiro)

1919 – 2008

publicado por cateespero às 00:00
link do post | Deixe seu comentário | favorito
Quinta-feira, 9 de Fevereiro de 2012

Eu li... António Botto

ADOLESCENTE

 

Eu ontem passei o dia

Ouvindo o que o mar dizia.

 

Chorámos, rimos, cantámos.

 

Falou-me do seu destino.

Do seu fado…

 

Depois para se alegrar,

Ergueu-se, e bailando, e rindo,

Pôs-se a cantar

Um canto molhado e lindo.

 

O seu hálito perfuma –

E o seu perfume faz mal!

 

Deserto de águas sem fim…

 

Ó sepultura da minha raça,

Quando me guardas a mim?...

Ele afastou-se calado;

Eu afastei-me mais triste,

Mais doente, mais cansado…

 

Ao longe, o Sol, na agonia,

De roxo as águas tingia.

 

– Voz do mar misteriosa;

Voz de amor e de verdade!

Ó voz moribunda e doce

Da minha grande saudade!

Voz amarga de quem fica,

Trémula voz de quem parte…

 

………………………………….

 

E os poetas a cantar

São ecos da voz do mar!

 

 

In “Canções” – 1921

 

António Botto

1897 – 1959

publicado por cateespero às 00:00
link do post | Deixe seu comentário | ver comentários (1) | favorito
Sexta-feira, 3 de Fevereiro de 2012

Eu li... Eugénio Pinto Aires

UM DIA

 

Esvoaçam os pardais a chilrear,

são puras as cores, o dia já nasceu.

Mergulham no azul fresco do céu,

onde o Sol, desde cedo está a reinar.

 

Vem a tarde, e apetece caminhar,

sem ter destino certo, pelos montes…

E ao subi-los em silêncio, ouvem-se as

                                      [fontes,

Que cantam noite e dia, sem parar.

 

Mas o Sol, pouco a pouco, vai descendo,

e o dia, cansado, vai morrendo

nos braços de uma noite de luar…

Luar que a Lua espalha como um véu,

sobre a Terra que há pouco adormeceu,

e que amanhã, com o Sol, volta a acordar.

 

 

In “Revista Unearta”

Ano I – N.º 1 – Janeiro 2002

 

Eugénio Pinto Aires

publicado por cateespero às 00:00
link do post | Deixe seu comentário | favorito

.Eu

.pesquisar

 

.Maio 2017

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

.Visitas desde Agosto.2008

contador de acesso

.Ano IX

.posts recentes

. Eu li...

. Eu li... Olavo Bilac

. Eu li... António Botto

. Eu li... Charles Baudelai...

. Eu li... Su Dongbo

. Eu li... Jacinta Passos

. Eu li... Laura Riding

. Eu li... Carlos Drummont ...

. Eu li... Juan Ramón Jimén...

. Eu li... Vincenzo Cardare...

.arquivos

. Maio 2017

. Abril 2017

. Março 2017

. Fevereiro 2017

. Janeiro 2017

. Dezembro 2016

. Novembro 2016

. Outubro 2016

. Setembro 2016

. Agosto 2016

. Julho 2016

. Junho 2016

. Maio 2016

. Abril 2016

. Março 2016

. Fevereiro 2015

. Janeiro 2015

. Dezembro 2014

. Novembro 2014

. Outubro 2014

. Setembro 2014

. Agosto 2014

. Julho 2014

. Junho 2014

. Maio 2014

. Abril 2014

. Março 2014

. Fevereiro 2014

. Janeiro 2014

. Dezembro 2013

. Novembro 2013

. Outubro 2013

. Setembro 2013

. Agosto 2013

. Julho 2013

. Junho 2013

. Maio 2013

. Abril 2013

. Março 2013

. Fevereiro 2013

. Janeiro 2013

. Dezembro 2012

. Novembro 2012

. Outubro 2012

. Setembro 2012

. Agosto 2012

. Julho 2012

. Junho 2012

. Maio 2012

. Abril 2012

. Março 2012

. Fevereiro 2012

. Janeiro 2012

. Dezembro 2011

. Novembro 2011

. Outubro 2011

. Setembro 2011

. Agosto 2011

. Julho 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

.tags

. todas as tags

contador de visita
blogs SAPO

.subscrever feeds