Domingo, 30 de Agosto de 2009

Eu li... Alphonsus de Guimarães

ROSAS

 

Rosas que já vos fostes, desfolhadas
por mãos também que já foram, rosas
suaves e tristes! Rosas que as amadas,
mortas também, beijaram suspirosas...

 

Umas rubras e vãs, outras fanadas,
mas cheias do calor das amorosas...
Sois aroma de almofadas silenciosas,
onde dormiram tranças destrançadas.

Umas brancas, da cor das pobres freiras,
outras cheias de viço de frescura,
rosas primeiras, rosas derradeiras!

 

Ai! Quem melhor que vós, se a dor perdura,
para coroar-me, rosas passageiras,
o sonho que se esvai na desventura?

 

 

Alphonsus de Guimarães

(Poeta Brasileiro)

 

 

 

publicado por cateespero às 00:00
link do post | Deixe seu comentário | favorito
Terça-feira, 25 de Agosto de 2009

Eu li... Maria João Brito de Sousa

UM MAR CÁ DENTRO... 

 

Sabe-me a boca a sal. O meu menino

Há tanto que partiu e mesmo agora

Existe, em mim, um mar que quando chora

Se veste todo dum azul divino...

 

Nunca mais voltará, o pequenino,

Foi para o céu azul aonde mora

E eu não sei quando virá a hora

De poder partilhar o seu destino...

 

Sabe-me a boca a sal. Talvez do mar...

Talvez cá dentro o sangue tenha sal,

Por isso eu tenho a boca assim salgada…

 

E chora, cá por dentro, e quer calar...

(mas tanto mar cá dentro faz-me mal)

Sabe-me a boca a sal e estou calada!

 

 

In “Poeta Porque Deus Quer”

Autores Editora

 

Maria João Brito de Sousa

 

 

publicado por cateespero às 00:00
link do post | Deixe seu comentário | ver comentários (1) | favorito
Quinta-feira, 20 de Agosto de 2009

Eu li... Rolando Boldrin

ONDE ANDA IOLANDA

 

Onde anda Iolanda,

que entortou a minha vida

que quebrou meu violão

que escondeu minha bebida

que jurou botar veneno

no meu prato de comida.

 

Iolanda tem defeitos

mas respeita minha dor

fez um livro de receitas

Pra eu ser trabalhador

gosta de me dar conselhos

mas meu samba não suporta

Ah… Meu Deus, que a conserve

Bem longe da minha porta.

 

Onde anda Iolanda

quero só saber com quem

Deus a guarde e tenha sorte

de não ser com um joão-ninguém.

Eu embora não suporte

tanta briga, tanta dor

tomara que tenha sorte

tomara que tenha amor.

 

 

In “Empório Brasil” – S. Paulo – 1988

Editora Clube do Livro/Melhoramentos   

 

Rolando Boldrin

(cantor, actor e apresentador

de televisão brasileiro)

 

 

 

publicado por cateespero às 00:00
link do post | Deixe seu comentário | favorito
Sábado, 15 de Agosto de 2009

Eu li... António Gedeão

POEMA DA MALTA DAS NAUS

 

Lancei ao mar um madeiro,

espetei-lhe um pau e um lençol.

Com palpite marinheiro

medi a altura do Sol.

 

Deu-me o vento de feição,

levou-me ao cabo do mundo,

pelote de vagabundo,

rebotalho de gibão.

 

Dormi no dorso das vagas,

pasmei na orla das praias,

arreneguei, roguei pragas,

mordi peloiros e zagaias.

 

Chamusquei o pêlo hirsuto,

tive o corpo em chagas vivas,

estalaram-me as gengivas,

apodreci de escorbuto.

 

Com a mão esquerda benzi-me,

com a direita esganei.

Mil vezes no chão, bati-me,

outras mil me levantei.

 

Meu riso de dentes podres

ecoou nas sete partidas.

Fundei cidades e vidas,

rompi as arcas e os odres.

 

Tremi no escuro da selva,

alambique de suores.

Estendi na areia e na relva

mulheres de todas as cores.

 

Moldei as chaves do mundo

a que outros chamaram seu,

mas quem mergulhou no fundo

do sonho, esse, fui eu.

 

O meu sabor é diferente.

Provo-me e saibo-me a sal.

Não se nasce impunemente

nas praias de Portugal.

 

In “Poesias Completas”

 

António Gedeão

 

publicado por cateespero às 00:00
link do post | Deixe seu comentário | favorito
Segunda-feira, 10 de Agosto de 2009

Eu li... Afonso Lopes Vieira

BARTOLOMEU MARINHEIRO

 

Era uma vez
um capitão português
chamado Bartolomeu
que venceu
um gigante enorme e antigo.
Bartolomeu, em menino
pequenino,
ia para o pé do mar...

e ficava a olhar
o mar...
E Bartolomeu cismava...
Ó que lindo, ó que lindo,
o mar, e a sua voz profunda e bela!
Uma nuvem no céu, era uma caravela
que novos céus andava descobrindo...

Ó que lindo, os navios,
que vão suspensos entre a água e o céu,
com velas brancas e mastros esguios,
e com bandeiras de todas as cores!
Bartolomeu cismava
porque ouvia
tudo o que o mar contava
e lhe dizia.

 

 

In “Bartolomeu Marinheiro” – 1912

 

Afonso Lopes Vieira

 

 

publicado por cateespero às 00:00
link do post | Deixe seu comentário | favorito
Quarta-feira, 5 de Agosto de 2009

Eu li... Tomás Medeiros

O NOVO CANTO DA MÃE

 

Mãe:
Nós somos os teus filhos
Que sem vergonha
Quebraram as fronteiras do silêncio.
Os filhos sem manhãs
Que rasgaram as noites que cobriam
As carnes das tuas carnes.

 

Nós somos, Mãezinha,
Os teus filhos,
Os pés descalços,
Esfomeados,
Os meninos das roças,
Do cais,
Os capitães d’areia,
Os meninos negros à margem da vida,
Que despedaçaram o destino do teu ventre,
Que endireitaram os instantes
Que marcaram socalcos na terra firme,
Na profundidade das trevas da tua vida.

 

Nós somos, Mãezinha, os teus filhos,
Sexos que germinaram vida,
Forças que desfloraram a virgindade dos dogmas,
Fecundaram minérios de esperança,
Olhos, dinamite de amor,
Mãos que esfacelaram a espessura dos obós,

 

E em cujo silêncio verde

Germina a CERTEZA.

 

Mãezinha,

Nós somos os teus filhos.

 

 

In “Antologia Temática de Poesia Africana I”

Editora Sá da Costa

 

Tomás Medeiros
(Poeta de São Tomense)

 

publicado por cateespero às 00:00
link do post | Deixe seu comentário | ver comentários (1) | favorito

.Eu

.pesquisar

 

.Maio 2017

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

.Ano IX

.Estão neste momento...

.posts recentes

. Eu li...

. Eu li... Olavo Bilac

. Eu li... António Botto

. Eu li... Charles Baudelai...

. Eu li... Su Dongbo

. Eu li... Jacinta Passos

. Eu li... Laura Riding

. Eu li... Carlos Drummont ...

. Eu li... Juan Ramón Jimén...

. Eu li... Vincenzo Cardare...

.arquivos

. Maio 2017

. Abril 2017

. Março 2017

. Fevereiro 2017

. Janeiro 2017

. Dezembro 2016

. Novembro 2016

. Outubro 2016

. Setembro 2016

. Agosto 2016

. Julho 2016

. Junho 2016

. Maio 2016

. Abril 2016

. Março 2016

. Fevereiro 2015

. Janeiro 2015

. Dezembro 2014

. Novembro 2014

. Outubro 2014

. Setembro 2014

. Agosto 2014

. Julho 2014

. Junho 2014

. Maio 2014

. Abril 2014

. Março 2014

. Fevereiro 2014

. Janeiro 2014

. Dezembro 2013

. Novembro 2013

. Outubro 2013

. Setembro 2013

. Agosto 2013

. Julho 2013

. Junho 2013

. Maio 2013

. Abril 2013

. Março 2013

. Fevereiro 2013

. Janeiro 2013

. Dezembro 2012

. Novembro 2012

. Outubro 2012

. Setembro 2012

. Agosto 2012

. Julho 2012

. Junho 2012

. Maio 2012

. Abril 2012

. Março 2012

. Fevereiro 2012

. Janeiro 2012

. Dezembro 2011

. Novembro 2011

. Outubro 2011

. Setembro 2011

. Agosto 2011

. Julho 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

.tags

. todas as tags

contador de visita
blogs SAPO

.subscrever feeds