Quinta-feira, 28 de Março de 2013

Eu li... Afonso Lopes Vieira

OS CABELOS DE INÊS

 

                                   Deus, e o seu espantoso Juízo…

                                   Testamento de D. Pedro I

 

 

Às mãos de D. João VI chega, um dia,

dos cabelos de Inês um pouco de oiro,

de esse adorado tesoiro

loiro, que ao Sol de outrora refulgia.

 

Raios de fina luz tinham chegado

do silêncio do túmulo dormente,

– fios  de mel doirado

raios de Sol ardente –

e com seu vivo lume resplendente

por dentro o haviam todo iluminado!

 

Toma-os, curioso, nos seus gordos dedos,

o rei, e para vê-los se prepara…

Os cabelos aonde se poisará

boca amorosa e anciosa, em beijos e em segredos…

 

Mas eis que o vento arranca esses cabelos

de aquelas mãos, no irado gesto aério!...

 

– Graças te dou, ó vento de mistério…

 

E nunca mais ninguem conseguiu vê-los.

 

 

1909

 

In “Revista A Águia”

N.º 4 – 1ª Série de 15/1/1911 – Ano I

 

Afonso Lopes Vieira

1878 – 1946

 

 

MANTEM A GRAFIA ORIGINAL

publicado por cateespero às 00:00
link do post | Deixe seu comentário | favorito
Sábado, 23 de Março de 2013

Eu li... Noel de Arriaga

CRESCEU A MENINA

 

Cresceu a menina que dentro do jardim saltava as

                                                 [cordas.

Cresceu a menina!

Cresceram-lhe os peitos,

E os peitos, crescendo,

Puseram-na tonta!

 

Tem o cabelo

Caido na testa,

Quási apetece

Fazer-lhe uma festa.

 

Cresceu a menina que dentro do jardim saltava as

                                                [cordas!

Perdeu o bibe de riscado azul,

Teve a angústia de longos sobressaltos,

Mas passados alguns dias

Já usava tacões altos!

 

Cresceu a menina!

Com ela cresceram

Meninas iguais

E tôdas fugiram

De casa dos Pais…

 

Quem dantes a conhecia

Agora mal a conhece —

Tudo a enfastia e tudo lhe apetece.

 

Cresceu a menina que dentro do jardim saltava as

                                                [cordas!

 

 

 

In “Altura” Cadernos de Poesia 1

Casa do Castelo - Editora

Fevereiro de1945

 

Noel de Arriaga 

N. 1918

publicado por cateespero às 00:00
link do post | Deixe seu comentário | ver comentários (1) | favorito
Segunda-feira, 18 de Março de 2013

Eu li... Júlia Cortines

ILUSÕES

 

Parte-se alegre, e forte, e cheio de coragem.

A ventura? – Ei-la ali, acenando-nos perto! –

Um passo afouto dá-se, e a vaporosa imagem

Se esvai subitamente... e, de súbito aberto

 

A nosso olhar surpreso, um hórrido deserto

Se amplia; mas a sombra, as flores, a ramagem,

Ei-las de novo além – a pérfida miragem

Que nos seduz, e atrai, e alenta o passo incerto.

 

Depois a sede vem, o lábio seca, o ardente

Olhar percorre ansioso os áridos espaços,

Onde brilha e fulgura um sol incandescente...

 

E da fronte poreja o suor da agonia,

E estendemos debalde os doloridos braços,

Procurando prender a sombra fugidia...

 

 

In “VERSOS”

 

Júlia Cortines

1868 – 1948

(Cronista e Poetisa Brasileira)

publicado por cateespero às 00:00
link do post | Deixe seu comentário | favorito
Quarta-feira, 13 de Março de 2013

Eu li... Adelina Velho da Palma

AO MEU MELHOR AMIGO

 

Há muito tempo cruzei-me contigo

mas nada aconteceu de extraordinário,

entre prematuro e retardatário

recusaste ser mais que meu amigo...

 

Descasei e joguei. Pra meu castigo

o vero afeto foi-me refratário,

minhas ligações - um mesmo calvário

e meus consortes - um só inimigo!....

 

Enquanto tudo o resto era precário

tua existência foi perene abrigo

no meu acidentado itinerário...

 

Há muito tempo cruzei-me contigo

e algo aconteceu de extraordinário

- pra toda a vida ganhei um amigo!...

 

 

In "Os Confrades da Poesia"

Ano V – Boletim Bimestral 49 – Julho/Agosto.2012

 

Adelina Velho da Palma

N. 1954

publicado por cateespero às 00:00
link do post | Deixe seu comentário | favorito
Sexta-feira, 8 de Março de 2013

Eu li... Teixeira de Pascoaes

OS OLHOS E O CÉU

 

Da influencia do céu esplendoroso

Na primeira sensivel creatura,

Amanheceu aquelle olhar saudoso

Que no Infinito, a eterna Luz procura!

 

O espaço, ou haja sol ou noite escura,

Transmigrou para um sêr mysterioso;

N’uns olhos se mudou a sua altura

E seu fecundo dia luminoso.

 

Por isso, uns olhos são a Imensidade

Que vê a sua propria claridade

E se sente infinita e se conhece…

 

São a luz da alvorada e a do sol-pôr;

São a esperança, a dôr, o eterno amor;

São a Estrella que chora e se enternece.

 

 

1902

 

In “Revista A Águia”

N.º 3 – 1ª Série de 1/1/1911 – Ano I

 

Teixeira de Pascoaes

1877 – 1952

 

Mantém a grafia original

publicado por cateespero às 00:00
link do post | Deixe seu comentário | favorito
Sábado, 2 de Março de 2013

Eu li... Rosélia Martins

AI, PENAS DO MEU PENAR!!

 

As penas que trago comigo

São cada vez mais pesadas

Aquilo que não consigo

São penas já arrastadas

Ai, penas do meu penar!!

As penas com que escrevo

Tenho-as na minha mão

As palavras que são escritas

Brotam do meu coração

Muitas ávidas de doçura

Outras de lágrimas banhadas

Sentem falta de ternura

Esperam mais compreensão

Penas que tenho guardadas

Na minh’alma já vai tempo

Recordam outras passagens

Da vida, nalguns momentos

Jamais serão esquecidas

P’ra sempre ficam marcadas

Ai, penas do meu penar!!

 

 

In “Os Confrades da Poesia”

Boletim Bimestral 45 – Jan/Fev. 2012

 

Rosélia Martins

N. 1943

publicado por cateespero às 00:00
link do post | Deixe seu comentário | favorito

.Eu

.pesquisar

 

.Maio 2017

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

.Visitas desde Agosto.2008


contadores digitales

.Ano IX

.Estão neste momento...

.posts recentes

. Eu li...

. Eu li... Olavo Bilac

. Eu li... António Botto

. Eu li... Charles Baudelai...

. Eu li... Su Dongbo

. Eu li... Jacinta Passos

. Eu li... Laura Riding

. Eu li... Carlos Drummont ...

. Eu li... Juan Ramón Jimén...

. Eu li... Vincenzo Cardare...

.arquivos

. Maio 2017

. Abril 2017

. Março 2017

. Fevereiro 2017

. Janeiro 2017

. Dezembro 2016

. Novembro 2016

. Outubro 2016

. Setembro 2016

. Agosto 2016

. Julho 2016

. Junho 2016

. Maio 2016

. Abril 2016

. Março 2016

. Fevereiro 2015

. Janeiro 2015

. Dezembro 2014

. Novembro 2014

. Outubro 2014

. Setembro 2014

. Agosto 2014

. Julho 2014

. Junho 2014

. Maio 2014

. Abril 2014

. Março 2014

. Fevereiro 2014

. Janeiro 2014

. Dezembro 2013

. Novembro 2013

. Outubro 2013

. Setembro 2013

. Agosto 2013

. Julho 2013

. Junho 2013

. Maio 2013

. Abril 2013

. Março 2013

. Fevereiro 2013

. Janeiro 2013

. Dezembro 2012

. Novembro 2012

. Outubro 2012

. Setembro 2012

. Agosto 2012

. Julho 2012

. Junho 2012

. Maio 2012

. Abril 2012

. Março 2012

. Fevereiro 2012

. Janeiro 2012

. Dezembro 2011

. Novembro 2011

. Outubro 2011

. Setembro 2011

. Agosto 2011

. Julho 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

.tags

. todas as tags

blogs SAPO

.subscrever feeds