Sábado, 28 de Abril de 2012

Eu li... Fernanda Botelho

MANSIDÃO

 

Quando me chamam, vou logo.

E não reajo. Disfarço.

E a cada ultraje, renasço

com as artérias em fogo.

 

Não falo do meu espanto.

Quando recuso, não digo.

(Conservo as vozes comigo

a elaborar o meu canto).

 

E com maneiras discretas,

vou criando o movimento

que hei-de entregar, a seu tempo,

às minhas asas quietas.

 

 

In “As Folhas de Poesia Távola Redonda"

Fasc. 14 de 31 Out. 1952

 

Fernanda Botelho

1926 – 2007

publicado por cateespero às 00:00
link do post | Deixe seu comentário | favorito
Segunda-feira, 23 de Abril de 2012

Eu li... José Carlos Capinan

OUTRAS CONFISSÕES

 

Narciso se despe, é noite, estão ladrando os cães

Os cães provavelmente ladrarão inteiramente a noite

Enquanto a lua cheia obtura os dentes podres das canções

Um traficante boliviano

Diz alô de Amsterdão

Um fracassado governante

Diz alô num telegrama

Tudo é ópio, para um ex-marxista

Para um ex-espiritualista, tudo é transe.

Tudo é provisoriamente eterno para os poetas

Tudo é eternamente provisório para os amantes

E o poema apenas a configuração do instante

 

 

In “Confissões de Narciso”

Civilização Brasileira – 1995 – RJ 

 

José Carlos Capinan

(Poeta Brasileiro)

N. 1941

publicado por cateespero às 00:00
link do post | Deixe seu comentário | favorito
Quarta-feira, 18 de Abril de 2012

Eu li... Teixeira de Pascoaes

AO SOL-POR
 

Eu canto no crepúsculo... A Tristeza
recorda-me longínqua aspiração,
na qual pressinto a imagem da beleza
que os meus olhos, um dia, alcançarão...

 

A paisagem, na sombra, sonha e reza...
Seu vulto é de fantástica visão.
Dir-se-á que a empedernida Natureza
tem lágrimas a arder o coração.

 

E canto a minha mágoa; vou cantando...
E vou, saudoso e pálido, ficando
mais distante de mim, mais para além...

 

Nesta melancolia, que é chorar
sem lágrimas, eu vivo a meditar
no que me prende... a terra, o céu, alguém?

 

 

Teixeira de Pascoaes

(Pseudónimo de Joaquim Pereira Teixeira de Vasconcelos)

1877 – 1952

publicado por cateespero às 00:00
link do post | Deixe seu comentário | favorito
Sexta-feira, 13 de Abril de 2012

Eu li... Francisco Rodrigues Lobo

CANTIGA

 

Descalça vai para a fonte,

Leonor pela verdura;

Vai formosa, e não segura.

 

A talha leva pedrada,

Pucarinho de feição,

Saia de cor de limão,

Beatilha soqueixada;

Cantando de madrugada

Pisa as flores na verdura:

Vai formosa, e não segura.

 

Leva na mão a rodilha,

Feita da sua toalha;

Com uma sustenta a talha,

Ergue com outra a fraldilha;

Mostra os pés por maravilha,

Que a neve deixam escura:

Vai formosa, e não segura.

 

As flores, por onde passa,

Se o pé lhe acerta de pôr,

Ficam de inveja sem cor,

E de vergonha com graça;

Qualquer pegada que faça

Faz florescer a verdura:

Vai formosa, e não segura.

 

Não na ver o Sol lhe val

Por não ter novo inimigo,

Mas ela corre perigo

Se na fonte se vê tal;

Descuidada deste mal

Se vai ver na fonte pura:

Vai formosa, e não segura.

 

Francisco Rodrigues Lobo

1580 – 1622

publicado por cateespero às 00:00
link do post | Deixe seu comentário | ver comentários (1) | favorito
Domingo, 8 de Abril de 2012

Eu li... Raul Machado

PÓSTUMA

 

Noite fechada, lúgubre, sombria.

Céu escuro, tristíssimo, nevoento,

Relâmpagos, trovões, água, invernia

E vento e chuva, e chuva e muito vento!

 

Abro um pouco a janela, húmida e fria;

Quedo a ver e a escutar, por um momento

O rugido feroz da ventania

E o rasgar dos fuzis no firmamento.

 

Quero vê-la no céu... e o céu escuro!

E, sem temer que chova e o vento açoite,

Abro mais a janela... abro, e murmuro:

 

Ah! Talvez acalmasse o meu tormento,

– Se eu pudesse chorar, como esta noite!

– Se eu pudesse gemer, corno este vento!

 

 

Raul Machado

1891 – 1954

(Poeta Brasileiro)

 

publicado por cateespero às 00:00
link do post | Deixe seu comentário | favorito
Terça-feira, 3 de Abril de 2012

Eu li... Adelaide Vicente

A VIDA

 

A vida!…

É bela, dizem os poetas,

É complexa dizem os filósofos,

É um paradoxo dizem os escritores…

Amor, só amor dizem os românticos.

É tristeza, dizem os tristes e os infelizes.

Amargura, afirmam os amargurados.

É solidão dizem os solitários.

Porém tudo é vida.,

Que vale a pena ser vivida,

Boa ou má, mas bem vivida.

Mesmo que seja contraditória,

Tristeza, solidão, amargura,

Complexidade, paradoxos, alegrias,

Tudo o mais…

Porque afinal,

Tudo é vida…

O bom, o incerto e, até o mal…

 

 

In “Revista Unearta”

Ano 1 – N.º 1 – Janeiro 2002

 

Adelaide Vicente

publicado por cateespero às 00:00
link do post | Deixe seu comentário | favorito

.Eu

.pesquisar

 

.Maio 2017

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

.Visitas desde Agosto.2008


contadores digitales

.Ano IX

.Estão neste momento...

.posts recentes

. Eu li...

. Eu li... Olavo Bilac

. Eu li... António Botto

. Eu li... Charles Baudelai...

. Eu li... Su Dongbo

. Eu li... Jacinta Passos

. Eu li... Laura Riding

. Eu li... Carlos Drummont ...

. Eu li... Juan Ramón Jimén...

. Eu li... Vincenzo Cardare...

.arquivos

. Maio 2017

. Abril 2017

. Março 2017

. Fevereiro 2017

. Janeiro 2017

. Dezembro 2016

. Novembro 2016

. Outubro 2016

. Setembro 2016

. Agosto 2016

. Julho 2016

. Junho 2016

. Maio 2016

. Abril 2016

. Março 2016

. Fevereiro 2015

. Janeiro 2015

. Dezembro 2014

. Novembro 2014

. Outubro 2014

. Setembro 2014

. Agosto 2014

. Julho 2014

. Junho 2014

. Maio 2014

. Abril 2014

. Março 2014

. Fevereiro 2014

. Janeiro 2014

. Dezembro 2013

. Novembro 2013

. Outubro 2013

. Setembro 2013

. Agosto 2013

. Julho 2013

. Junho 2013

. Maio 2013

. Abril 2013

. Março 2013

. Fevereiro 2013

. Janeiro 2013

. Dezembro 2012

. Novembro 2012

. Outubro 2012

. Setembro 2012

. Agosto 2012

. Julho 2012

. Junho 2012

. Maio 2012

. Abril 2012

. Março 2012

. Fevereiro 2012

. Janeiro 2012

. Dezembro 2011

. Novembro 2011

. Outubro 2011

. Setembro 2011

. Agosto 2011

. Julho 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

.tags

. todas as tags

blogs SAPO

.subscrever feeds